Representantes da Prefeitura de Caarapó debatem O Trabalho Infantil

Na manhã desta segunda-feira 13, no Jornal Ronda da Cidade da Rádio Jota FM, o técnico jurídico do Creas, Marcos Vinicius, juntamente com o psicólogo da UBS/Secretaria de Saúde de Caarapó, Everton Ramos, foram os entrevistados pelo comunicador Wander Ferreira, para enfatizar o enfrentamento ao trabalho infantil. O dia 12 de junto é o Dia Internacional ao  Combate do Trabalho Infantil. 

Para o Marcos, o compromisso assumido pelo país à Organização Internacional do Trabalho (OIT) de erradicar a exploração do trabalho infantil parece distante, pois em muitos municípios brasileiros é crescente o caso em que crianças deixam de estudar para priorizar o trabalho para o provimento à família; “acontece que lá na frente por não estudarem, irão ser penalizados, sendo exemplo, terão os menores salários”. 

Marcos disse que o município de Caarapó está nestes dados, e por conta, foi preciso a instalação de comissão para acompanhamento de menores principalmente os de 14 anos abaixo, que devem estar e sala de aula, ter seu tempo de lazer e ao trabalhar que em hipótese alguma seja prejudicial o seu desenvolvimento, sem pular etapas essenciais.  

O técnico jurídico que faz parte da Secretaria de Assistência Social de Caarapó, comentou ainda dos serviços legais os menores, como autores mirins, sem prejudicar os outros fatores importantes para o seu desenvolvimento; desaconselhando aqueles serviços que exijam de horas excessivas, como por exemplo de garçons, sendo como exemplo errado na preparação de bebidas alcoólicas. 
Outra situação mencionada pelo técnico Marcos, é o serviço exercido pela menor- neste caso a maioria é por meninas- como baba ou doméstica; sendo que a contratante acredita está fazendo o certo, porém está contribuindo para limitação do estudo da menor. 
Comentou ainda que em situação de vulnerabilidade social familiar o estado contribui, como tem feito nos programas sociais, que é só procurar os cras. 

Mencionou que tem idade que é permitido ao menor com carteira assinada ou jovem aprendiz, a partir dos 16 anos, e mesmo com idade inferior há vários cursos profissionalizantes dentro de regra.  

Já o psicólogo Everton, que a responsabilidade do indivíduo prematuramente, pode afetar em suas ações na idade adulta, não sendo aconselhável como foi na geração passada que se trabalhava criança, e principalmente quando a família era ampla  para ajudar com os demais irmãos e provimento familiar, em muitos casos na ausência do pai, ainda criança assumia a responsabilidade, precisando de uma proteção ao menor para o engajamento de cada fase sadiamente.
Fonte: REDE JOTA FM

Aqui você pode expressar sua opinião livremente.

%d blogueiros gostam disto: