PDT de MS não apoiará aliados de Bolsonaro em 2022.

PDT de MS não apoiará aliados de Bolsonaro em 2022.
Marcelo Panella, presidente interino do PDT em MS. – (Foto: Henrique Arakaki, Jornal Midiamax).

Em entrevista concedida ao Jornal Midiamax, o tesoureiro nacional do PDT, Marcelo Panella, nomeado presidente interino do partido em Mato Grosso do Sul, após a dissolução do diretório antigo, e que deve permanecer atuando até 19 de outubro, revelou que o partido dificilmente apoiará o PSDB e, consequentemente, não apoiará Eduardo Riedel para governador e nem ao presidente Jair Bolsonaro nas Eleições majoritárias de 2022. Na prática, seguindo a lógica do discurso, o diretório de MS apresentará Ciro Gomes como seu candidato a presidente.

Marcelo chegou a dizer, às repórteres Mayara Bueno e Anna Gomes do Midiamax, que:

“Eu venho de uma escola política que conversamos com todos, mas seria a construção mais difícil. Onde Bolsonaro estiver queremos léguas de distância”

Um fato curioso a se destacar é que, recentemente, o ex-deputado estadual Enelvo Felini deixou o PSDB, partido que por 15 anos o apoiou em sua carreira política, para ir em busca de uma legenda “mais viável” visando sua candidatura para deputado estadual. Vale destacar que Enelvo, “habituê” frequentador das rodas sócio-políticas dos produtores rurais de Sidrolândia que, claramente, apoiam o governo de Bolsonaro,  e que disputou as últimas eleições para prefeito em Sidrolândia, perdendo para Vanda Camilo, do PP, com esse movimento, “vira as costas” para quem sempre o sustentou politicamente.

Em 18 de abril, o PDT decidiu intervir na direção da legenda em quatro estados brasileiros, incluindo Mato Grosso do Sul, especialmente após a saída de Dagoberto Nogueira e diz não existe posicionamento definido de qual candidato ao Governo do Estado terá apoio do PDT de MS nas eleições 2022.

 

 

%d blogueiros gostam disto: