Tesouro Direto: taxas de títulos públicos sobem após prévia da inflação

SÃO PAULO – Os títulos públicos prefixados negociados no Tesouro Direto, programa que possibilita a compra e venda de papéis por investidores pessoas físicas por meio da internet, operam em alta no início dos negócios desta quinta-feira (23).

Entre os indicadores, o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo-15 (IPCA-15) subiu 0,71% em janeiro na comparação mensal, 0,34 ponto percentual abaixo da taxa de 1,05% registrada em dezembro. O resultado ficou praticamente em linha com a expectativa do mercado, que era de alta de 0,70%, segundo consenso Bloomberg. No período, a maior pressão para cima veio do grupo de alimentação e bebidas.

Segundo o Instituto de Geografia e Estatística (IBGE), este é o maior resultado para um mês de janeiro desde 2016, quando o índice foi de 0,92%. Em 12 meses, o IPCA-15 acumula alta de 4,34%, acima dos 3,91% registrados nos 12 meses imediatamente anteriores.

A agenda trouxe ainda o Índice de Preços ao Consumidor Semanal (IPC-S), que acelerou, até 22 de janeiro, para 0,56%, contrariando expectativa dos economistas ouvidos pela Bloomberg de desaceleração para 0,44%. O indicador ficou acima do registrado na medição anterior, quando o resultado foi de 0,48%.

No ambiente internacional, investidores aguardam pela reunião da Organização Mundial da Saúde (OMS) em Paris para decidir se declara o novo coronavírus da China uma emergência global. Até o momento, foram confirmadas 17 mortes e 571 pessoas infectadas pela doença.

Leia também:
Onde ainda vale a pena investir na renda fixa? Ibiuna e JGP respondem
Participe do Onde Investir 2020 e veja as recomendações de alguns dos maiores especialistas do país

No Tesouro Direto, o título prefixado com vencimento em 2022 oferecia um prêmio anual de 4,99%, ante 4,98% ao ano na abertura de quinta-feira (22). O investidor podia aplicar uma quantia mínima de R$ 36,41 (recebendo uma rentabilidade proporcional à aplicação), ou adquirir o título integralmente por R$ 910,36.

Já o papel com prazo em 2025 pagava 6,34% ao ano, ante 6,32% a.a. anteriormente.

Nos títulos com retorno atrelado à inflação, as taxas apresentavam queda. O Tesouro IPCA+2024 oferecia uma taxa de 2,39%, ante 2,41% ao ano na véspera, enquanto o retorno do Tesouro IPCA+ com juros semestrais 2035 cedia de 3,33% para 3,30% ao ano.

Confira, a seguir, os preços e as taxas dos títulos disponíveis no Tesouro Direto:

Fonte: Tesouro Direto

Saia da poupança e faça seu dinheiro render mais: abra uma conta gratuita na Rico

Baixo risco, liquidez e acessibilidade

O Tesouro Direto é considerado a opção de investimento com o menor risco no Brasil e com ampla acessibilidade, dado o investimento mínimo a partir de R$ 30. Outra vantagem do programa diz respeito à liquidez, com a possibilidade de recompra diária dos títulos públicos pelo Tesouro.

O investidor pode aplicar em títulos públicos diretamente pelo site do Tesouro, se cadastrando primeiro no portal e abrindo uma conta em uma corretora, como a Rico Investimentos, por exemplo, para intermediar as transações. Atualmente, a maior parte das instituições financeiras habilitadas a operar no programa não cobra taxa de administração.

O único custo obrigatório que recai sobre o investimento em títulos públicos pelo Tesouro Direto corresponde à taxa de custódia, de 0,25% ao ano sobre o valor dos títulos, cobrada semestralmente no início dos meses de janeiro e de julho.

Entenda tudo sobre Tesouro Direto neste guia completo:

Guias InfoMoney

Tesouro Direto  Tesouro Direto

 

The post Tesouro Direto: taxas de títulos públicos sobem após prévia da inflação appeared first on InfoMoney.

Fonte: FONTE INFOMONEY

Aqui você pode expressar sua opinião livremente.

%d blogueiros gostam disto: