Bovespa abre em queda de olho no exterior

Bovespa abre em queda de olho no exterior


Na quarta-feira, o Ibovespa subiu 1,17%, a 118.391 pontos Bovespa
REUTERS/Nacho Doce
O principal índice da bolsa de valores brasileira, a B3, opera em queda nesta quinta-feira (23), com os investidores retomando preocupações com o surto de coronavírus na China. Além disso, o mercado acompanha a divulgação da prévia da inflação de janeiro, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).
Às 10h08, o Ibovespa caía 0,49%, a 118.819 pontos. Veja mais cotações.
Na quarta (22), o índice avançou 1,17%, a 118.391 pontos, acompanhou o viés mais positivo no exterior e encontrando suporte, principalmente, na recuperação das ações dos bancos.
No acumulado do ano, a bolsa acumula alta de 2,37%.
Na quarta (22), os temores de uma disseminação do coronavírus tinham sido levemente amenizados, após uma entrevista do vice-ministro da China, Li Bin à imprensa. Porém, o mercado retomou o clima de nervosismo com o vírus nesta quinta, diante das notícias de aumento do número de mortes e infecções.
O surto do coronavírus já matou 17 pessoas e infectou mais 600. Wuhan, que é o epicentro do vírus, teve as suas redes de transporte urbano fechadas e voos suspensos. As medidas drásticas assustaram investidores, que se desfizeram de ações relacionadas a restaurantes, cinemas, companhias aéreas e parques temáticos logo após o isolamento da cidade de Wuhan.
China isola segunda cidade para tentar frear epidemia de coronavírus
Com isso, o índice CSI300, que reúne as maiores companhias listadas em Xangai e Shenzhen, caiu 3,1% nesta quinta-feira, na maior perda diária em quase nove meses. O índice de Xangai teve queda de 2,75%.
O CSI300 marcou sua pior semana desde maio de 2019, enquanto o índice de Xangai teve a maior queda na semana desde agosto do ano passado. Os mercados financeiros da China ficarão fechados a partir de sexta-feira para o feriado de uma semana do Ano Novo Lunar.
Cena doméstica
Internamente, o mercado acompanha a divulgação da prévia da inflação de janeiro, que é medida pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo 15 (IPCA-15), do IBGE. O índice avançou 0,71% em janeiro, maior resultado para o mês desde 2016.
Em relação a dezembro, quando o IPCA-15 ficou em 1,05%, o índice desacelerou. Segundo o IBGE, a desaceleração foi puxada pelo preço da carne, que passou de uma alta de 17,71% em dezembro para 4,83% em janeiro. Apesar disso, foram as carnes que exerceram, novamente, a maior pressão individual sobre a inflação, de 0,15 ponto percentual sobre o indicador.
Variação do Ibovespa em 2020
Arte/G1
Fonte: ECONOMIA

Aqui você pode expressar sua opinião livremente.

%d blogueiros gostam disto: