Agentes acusados de facilitar fuga no Paraguai são transferidos para presídio onde trabalhavam

Agentes acusados de facilitar fuga no Paraguai são transferidos para presídio onde trabalhavam


32 agentes penitenciários, incluindo o diretor, foram transferidos para a Penitenciária de Pedro Juan Caballero, no Paraguai, onde ficarão presos preventivamente. Momento em que agentes acusados de facilitação na fuga de presos chegam à Penitenciária de Pedro Juan Caballero, na manhã desta quarta-feira (22)
Graciela Andrade/TV Morena
32 agentes penitenciários, incluindo o diretor do presídio de Pedro Juan Caballero, no Paraguai, foram transferidos na manhã desta quarta-feira (22) para o local onde trabalhavam, na fronteira do país com o Brasil. Eles são acusados de facilitarem a fuga de 76 integrantes de uma facção criminosa brasileira no último domingo (19), em troca de R$ 330 mil.
Os agentes estavam detidos em um prédio da polícia paraguaia desde segunda-feira, aguardando a decisão da prisão preventiva, decretada nesta quarta pela justiça paraguaia. As buscas e investigações para encontrar os foragidos seguem dos dois lados da fronteira. Até a noite de terça, cinco haviam sido recapturados.
De acordo com o jornal paraguaio “ABC Color”, um sexto fugitivo se entregou hoje, em Pedro Juan Caballero. Ainda segundo o jornal, o paraguaio Cristian Javier Benítez Vera foi até a polícia a pedido dos pais, por não querer mais viver “em clandestinidade”.
Aos policiais, Cristian teria afirmado que não pertence a nenhuma facção criminosa e que os “chefões” do crime teriam saído do presídio pelo portão principal, antes da fuga em massa pelo túnel.
Suspeitos de ajudarem em fuga de presos no Paraguai vão para presídio onde trabalhavam
Mesmo com todo o esforço para a recaptura dos fugitivos, o chefe de investigações da polícia paraguaia Feliciano Martinez, afirma que muitos deles já estariam fora de alcance. “Temos a informação que 15 ou 20 pessoas já estariam longe daqui. Nosso foco é tentar capturar o restante, já que estão sem logística e em alguns dias terão de sair da região para conseguir dinheiro e comida”, disse, em entrevista à TV Morena.
Nesta terça-feira, várias perícias foram realizadas na Penitenciária de Pedro Juan Caballero. O túnel foi um dos locais vistoriados e o objetivo da polícia é saber como foi a fuga e quanto tempo os fugitivos levaram para deixar o prédio.
Em Ponta Porã, o Departamento de Operações de Fronteira (DOF) triplicou o policiamento. Há policiais sul-mato-grossense fazendo fiscalizações também na divisa com São Paulo.
Justiça decreta a prisão preventiva de 32 funcionários do presídio onde 76 presos fugiram
Fonte: MUNDO

Aqui você pode expressar sua opinião livremente.

%d blogueiros gostam disto: