Putin acelera reorganização política na Rússia e detalha novo centro de poder

Putin acelera reorganização política na Rússia e detalha novo centro de poder


Presidente da Rússia pretende dar maior poder ao Parlamento e ao Conselho de Estado. Presidente da Rússia, Vladimir Putin, durante reunião com o Conselho de Estado em residência próxima a Moscou nesta segunda-feira (20)
Sputnik/Mikhail Klimentyev/Kremlin via Reuters
O presidente Vladimir Putin acelerou a reorganização do sistema político da Rússia nesta segunda-feira (20), ao enviar um projeto de reforma constitucional ao Parlamento que criará um novo centro de poder fora da presidência.
Putin também substituiu o procurador-geral Yuri Chaika, que ocupava o cargo desde 2006, em uma medida que sugere que suas mudanças poderiam ir além do sistema político e do governo.
Em um movimento surpreendente, Putin anunciou planos para reformas na semana passada. O aliado de longa data, Dimitri Medvedev, renunciou ao cargo de primeiro ministro junto com o governo, dizendo que queria dar espaço para o presidente fazer as mudanças (veja no vídeo abaixo).
Primeiro-ministro da Rússia renuncia ao cargo nesta quarta-feira (15)
As medidas propostas por Putin são amplamente vistas como mudanças que lhe concedem margem para reter influência quando seu mandato terminar, em 2024, embora ele tenha dito no fim de semana que não era a favor da prática da era soviética de ter líderes para a vida toda que morrem no cargo.
O que deve mudar na Rússia
Dimitri Medvedev, ex-primeiro-ministro da Rússia, e Vladimir Putin, o presidente, em reunião governamental no dia 15 de janeiro de 2020
Sputnik/Alexey Nikolsky/Kremlin/ via Reuters
No projeto de emendas submetido à Câmara dos Deputados, Putin ofereceu um vislumbre de como suas reformas parecem no papel. Segundo seu plano, alguns dos amplos poderes do presidente seriam retirados e os poderes do Parlamento, expandidos.
Em uma das maiores mudanças, o status do Conselho de Estado, até agora um órgão discreto que assessora o presidente, seria pela primeira vez consagrado na Constituição.
Putin, de 67 anos, não revelou o que pretende fazer ao deixar o Kremlin. Uma opção poderia ser o comando do fortalecido Conselho de Estado.
Sob suas propostas, o conselho teria mais poderes para “determinar as principais direções das políticas domésticas e de relações exteriores”.
As mudanças também preveem impedimentos para que futuros presidentes cumpram mais de dois mandatos. Putin se tornou presidente pela primeira vez em 2000 e está agora em seu quarto mandato como chefe de Estado.
Fonte: MUNDO

Aqui você pode expressar sua opinião livremente.

%d blogueiros gostam disto: