Balança comercial tem déficit de US$ 816 milhões na 3ª semana de janeiro

Números foram divulgados nesta segunda-feira (20) pelo Ministério da Economia. Em todo ano passado, superávit comercial recuou 19,6%, para US$ 46,6 bilhões. O Ministério da Economia informou nesta segunda-feira (20) que a balança comercial registrou um déficit de US$ 816 milhões na semana passada.
Quando as exportações superam as importações, o resultado é de superávit. Quando acontece o contrário, o resultado é de déficit.
De acordo com o governo, as exportações somaram US$ 2,524 bilhões na última semana, enquanto que as compras do exterior totalizaram US$ 3,340 bilhões.
Acumulado de janeiro
No acumulado deste mês, ainda segundo informações oficiais, a balança comercial acumula superávit (exportações menos importações) de US$ 934 milhões.
De acordo com o governo, as exportações no período somaram US$ 8,847 bilhões (queda de 10,3% na comparação com janeiro de 2019).
Nessa comparação, houve aumento nas vendas de produtos básicos (0,4%), enquanto houve queda nas exportações de produtos manufaturados (-21%) e de semimanufaturados (-14,3%).
As importações, ainda segundo o governo, totalizaram US$ 7,913 bilhões (queda de 11,5% na mesma comparação).
Recuaram os gastos com aeronaves e peças (-34,6%), adubos e fertilizantes (-31,4%), combustíveis e lubrificantes (-17,9%), cereais e produtos da indústria da moagem (-16,3%), veículos automóveis e partes (-7,6%).
Ano de 2019 e projeções
No ano passado, a balança comercial registrou superávit de US$ 46,6 bilhões. Com isso, o saldo positivo, assegurado principalmente pela exportação de produtos básicos, ficou 19,6% abaixo do de 2017.
A expectativa do mercado financeiro para este ano é de nova queda do saldo comercial. Segundo pesquisa realizada pelo Banco Central na semana passada, a previsão para 2020 é de um saldo positivo de US$ 37,4 bilhões nas transações comerciais do país com o exterior.
O Banco Central, por sua vez, prevê um superávit da balança comercial de US$ 32 bilhões neste ano – com exportações em US$ 225 bilhões e compras do exterior no valor de US$ 193 bilhões.
O Ministério da Economia, que não divulgou projeção para o saldo comercial de 2020, avaliou que o “menor dinamismo” do comércio internacional deve ser visto como um “fenômeno estrutural e não cíclico” e que a Argentina “continuará sendo um fator negativo”.
Fonte: ECONOMIA

Aqui você pode expressar sua opinião livremente.

%d blogueiros gostam disto: