Embaixada alemã critica 'qualquer tentativa de banalizar ou glorificar era do nacional-socialismo' após discurso de Alvim

Em vídeo, ex-secretário de Cultura citou um trecho semelhante à uma frase de Joseph Goebbels — ministro da Propaganda de Adolf Hitler durante o governo nazista na Alemanha. Ele foi exonerado do cargo pelo presidente Jair Bolsonaro. Secretário de Cultura faz discurso semelhante ao de nazista; analistas comentam
A embaixada da Alemanha no Brasil divulgou nesta sexta-feira (17) uma nota criticando “qualquer tentativa de banalizar ou mesmo glorificar a era do nacional-socialismo” após a declaração do então secretário de Cultura, Roberto Alvim, em que ele cita um trecho semelhante à uma frase de Joseph Goebbels — ministro da Propaganda de Adolf Hitler durante o governo nazista na Alemanha.
“O período do nacional-socialismo é o capítulo mais sombrio da história alemã, trouxe sofrimento infinito à humanidade. A Alemanha mantém a sua responsabilidade. Opomo-nos a qualquer tentativa de banalizar ou mesmo glorificar a era do nacional-socialismo”, escreveu o órgão diplomático em uma rede social (veja abaixo).
Initial plugin text
O presidente Jair Bolsonaro exonerou Alvim do cargo nesta manhã. Em nota, Bolsonaro afirmou que a permanência de Alvim no governo ficou “insustentável”.
A fala de Alvim teve intensa repercussão negativa – inclusive na imprensa internacional.
Lavagem cerebral e fogueiras de livros: quem foi Goebbels
Assim como Goebbels havia afirmado em meados do século XX que a “arte alemã da próxima década será heroica” e “imperativa”, Alvim afirmou que a “arte brasileira da próxima década será heroica” e “imperativa”.
Nesta manhã, Alvim afirmou em post no Facebook que a semelhança entre as frases foi “apenas uma frase do meu discurso na qual havia uma coincidência retórica”.
Fonte: MUNDO

Aqui você pode expressar sua opinião livremente.

%d blogueiros gostam disto: